Perto de 100 estudantes que tentaram ingressar na Universidade Jean Piaget foram barrados por apresentarem certificados falsos, revelou o vice - ­reitor daquela instituição de ensino privado, Manuel Correia

Os documentos de certificação falsificados foram detectados durante o processo de verificação das candidaturas, sendo que nem todos os candidatos falsificaram os certificados, apenas frequentaram escolas do ensino médio que não estavam legalizadas e cujos documentos emitidos não têm validade. 

"Existem muitos estabelecimentos de ensino médio e colégios que não são legalizados. Os estudantes acreditam que estão numa instituição legalizada e passam ai três a quatro anos e só no fim é que dão conta que aquela instituição está ilegal porque trazem dai a declaração, certificado ou diploma falsos", assegurou Manuel Correia em declarações à TV Zimbo. 

Os candidatos provenientes dos municípios do Cazenga e Viana são os que mais apresentaram certificados falsos no acto da inscrição na Universidade Jean Piaget, como o gabinete jurídico da universidade acaba por confirmar. 

Para além dos casos de diplomas inválidos por terem sido emitidos por estabelecimento de ensino que não está conforme a lei exige, há ainda os casos de certificados e diplomas que são falsificados pelos próprios estudantes ou porque chumbaram no ensino médio ou nem sequer o frequentaram.

Procedência: Angonotícias

0 comentários:

Enviar um comentário

 
Subir