Music On com Cilana Manjenje: "A dança continua, só não faço como anterior porque hoje a minha profissão é a música"

Para abrir o mês de Setembro com mais uma edição do nosso programa Music On "O Seu Programa De Entrevista", tivemos como convidada uma das Divas da música angolana e integrante do grupo As Afrikanas.

Cilana Manjenje é uma jovem cantora angolana natural da província de Benguela e integrante do grupo As Afrikanas, formada em Teatro e Cinema, especializada em produção teatral e apaixonada fazedora de artes cénicas.


Carreira e gosto pela arte...

Segundo a nossa convidada, o seu gosto pela arte surgiu desde muito pequena, mas muito antes da música começou pelo teatro no Horizonte Nzinga Mbande quando na altura tinha 10 anos.

Após adquirir experiências no Horizonte Nzinga Mbande, Cilana teve a oportunidade de trabalhar com outras companhias teatrais que por privilégio levou-a em diferentes países de Língua Portuguesa.

"O teatro é a minha melhor paixão, arte cénica completa."

No que diz respeito a arte, ainda antes da sua introdução à música a nossa convidada teve a oportunidade de abrilhantar-se na dança após a sua participação como uma das vencedoras no primeiro concurso de dança em Angola, Bounce.

A dança foi onde abri mais um pouquinho as portas por causa do concurso Bounce, fui para muitos países e dancei com quase todos cantores angolanos como sua bailarina e depois passei para música."

"Hoje sou uma mulher muito realizada em todos aspectos."

Em relação a essa linda trajectória, Cilana Manjenje disse ser alguém que sempre gostou de aproveitar as oportunidades, este também como um dos motivos que a levou a não permanecer apenas na dança, embora já tenha conquistado um enorme espaço nela. Adiantou ainda sentir-se honrada e privilegiada por hoje partilhar o palco como colega daqueles cantores de quem um dia foi bailarina.

A dança continua, dou sempre aulas privadas, só não faço como profissão anterior porque hoje em dia a minha profissão é a música.

Questionada da sua real influência em relação à música, Manjenje revelou ter como grande impulsionador a sua família, que desde sempre foi de guitarradas e que por sorte foi crescendo com aquilo.

"A minha família é de música, é família de roda do quintal, roda de Semba."

Introdução a solo no mercado musical, estabilidade...

É do conhecimento que Cilana Manjenje é integrante do grupo As Afrikanas, mas também de que actualmente reside no mundo dos artistas com carreiras a solo. Dentro do assunto e questionada como está ser essa nova fase artística, a nossa convidada adiantou que não esperava ser tão bom e fácil, realmente, viveu no medo em arriscar numa carreira a solo.

Cilana, disse a sua nova fase estar a ser muito gratificante, tem encontrado a sua identidade musical. Apesar de ter perdido as suas companheiras, tem apreendido muito, crescido cada vez mais em termos profissionais e vocais porque o desafio é maior.

Apesar de ter dito a sua nova fase estar a ser muito gratificante em relação a sua posição no mercado, a integrante das Afrikanas ainda considerou-se crua e com muito pra dar.

Como grupo acho que já fiz o que devia ter feito, tatuar o nome As Afrikanas para music hall angolano.

Em conversa Cilana Manjenje revelou ser muito exigente no que toca o profissionalismo, e que por vezes chega a ser muito exigente com os outros. Para ela outros podem mesmo que si.

Visão ao mercado musical angolano...

Como integrante do mercado angolano, interessante ainda foi saber qual sua visão em relação a ele. Para a mesma o nosso mercado está equilibrado, há todo tipo de música para todo tipo de público.

Para ser sincera eu acho que nos dias de hoje o nosso mercado está equilibrado, porque acho que tem tudo para todo tipo de ouvidos, nós não podemos dar uma de classificar que o melhor é Semba, melhor é Kuduro, melhor é R.A.P, melhor é Zouk, melhor é Kizomba... Não! Hoje em dia graças a Deus o nosso público está com uma mente mais aberta e já se ouve de tudo um bocado, não podemos julgar quem faz um outro estilo de música menos audível para os nossos ouvidos.  
Acho que há todo tipo de música para todo tipo de ouvintes, todo tipo de cantores para todo tipo de fãs."

"O mercado está bom, nós como artistas é que temos de nos fazer sentir para que os ouvintes consigam sentir... Também ter em conta que há fases para artistas, então saber gerir isso como deve ser ."

A nossa convidada é das poucas conceituadas vozes feminina do mercado musical angolano e infelizmente do tipo de gênero que muito sofre insinuações e provoca polémicas como estratégia de markting para o sucesso. 

Uma vez que não está isento das variedades insinuações, em conversa com a Musicomania News e questionada sobre o seu olhar em relação a isso, a artista é de opinião que polémica não é o seu forte, não é a melhor estratégia de markting, mas sim o trabalho, a conducta e a ideia que a pessoa deixa a sociedade. Embora não esteja ausente delas.

"Cada artista, além de ser artista é um ser humano, não é perfeito, erra e acerta, acrescentou."

Sobre as barreiras, a cantora é de opinião que o que mais existe no mercado musical angolano na verdade são as barreiras, mas embora exista isso é necessário que as pessoas sejam lutadoras, artistas e profissionais o suficiente para poder romper. Barreiras não existe só em Angola, existe no mundo inteiro e não só na arte, acrescentou.



Se tivesse hipóteses de...

Como Ministra da Cultura, uma das primeiras coisas que eu mudaria é a visão que o angolano tem do teatro em Angola. Daria muito mais asas para o teatro em Angola voar, porque nossos actores de teatro são muito bons.

As Afrikanas na actualidade...

Com base o actual estado do grupo, Cilana Manjenje, uma das integrantes, afirmou o grupo não estar em fase final e sim em pausa para cada uma poder dedicar e identificar-se musicalmente. 

Ainda para a mesma a nova fase está a ser muito gratificante para o grupo porque cada uma está dar oportunidade ao que sempre quis fazer. Quanto mais crescerem melhor ainda!

Realizações pretendidas...

Após ter explicado no princípio que uma das suas grandes paixões é a televisão e um dos seus grandes desafios é o seu programa televisivo, a cantora revelou já estar a trabalhar para o mesmo, seguido de sua academia de artes, seu EP e um projecto colaborativo com a colega Serafina Sanches.


Clica play e ouve a entrevista online...

Sem comentários