Music On: Com Nélia Dias "Eu trabalho todas as músicas, não deixo músicas por acaso"

Como sempre o nosso programa Music On "O Seu Programa De Entrevista" tem tido convidados novos, desta vez tivemos no dia 18 do corrente mês como convidada a cantora Nélia D'Fátima Carvalho Dias da Gama, casada com Eudjarai Gama (seu actual productor), mãe de dois filhos, formada em arquitectura e conhecida artisticamente por Nélia Dias.

Com sete faixas musicais, nas quais os sucessos Vem Cá e o Vai Doer, que actualmente chega a carregar a segunda versão que conta com a participação do músico rapper da B26, Young Double.



Quando, o quê proporcionou a entrada no mundo da música?

Tudo começou quando envolvi-me com o meu actual productor, eu nem fazia música na época, mas ele já fazia era cantor e productor... Embora já com algumas intenções para tal. Mas o resultado pos-relação em termos musical só depois da minha formação, na minha ortoga, foi a minha primeira apareção com a música Ilusão, isto já em 2010/2011.

Eu já gostava de fazer música antes de chegar até ao meu marido (actual productor), que me deu um empurrão para o mundo artístico profissional. Já tinha um grupo com as primas mas nada profissional, no fundo era só uma diversão.

De onde surgiu, a quem esteve a cargo a produção do considerado teu hit "Vem Cá"?

Se considera-se hit, pra mim não foi.
Começou quando meu marido como productor diz, vamos fazer esse tipo de música, com a vibe assim, tanto que foi a produção dele. Daí eu criei, mas não gostando daquilo que criei, achei que eu cantei com uma nota baixa.

Mas ele dizendo é mesmo isso.

"Ainda acrescentou a cantora, que por via da música Vem Cá já chegou a ser confundida com cantoras como Nsoki e Yola Araújo. Após o vídeo ter ido ao Afro Music, ainda foi confundida como sendo uma cantora de Moçambique e São Tomé."

Sobre participações, melhor, futuras, estilo que a caracteriza?

Eu não digo melhor participação, todas elas são boas, se eu quiser e se forem concebidas com a melhor música e com empenho de trabalho certo. As vezes as pessoas gostam de participações por convénio, ou porque quer ter só aquela pessoa na música.

Eu trabalho todas as música, não deixo músicas por acaso.

Se tiver que atingir um nível alto de participações, teria que ser com lendas... Como por exemplo:

<<Kuduro, é uma experiência que eu gostaria trabalhar com Nana `Nagrelha`>>

<<Semba, quando tiver que ser faria o meu primeiro com `Paulo Flores`>>

"Comecei a pensar em participações, para tentar me intruzar um bocadinho mais com outros músico. Estilo, não tenho um único estilo me caracteriza, estou aberta para qualquer experiência"

Visão futura para com a música, projectos em carteira?

Olha, ainda estou muito preocupada com o presente, apesar de não deixar de ter objectivos futuros. Preocupada com presente porque tenho de quebrar a barreira que tenho, de nome, cara e música. 

Digo que sou abençoada porque graças a Deus as músicas tocam e são bem recebidas, só que não conseguem associar o nome e o rosto. Visto que o mercado ultimamente tem sido muito competitivo. Mas para o futuro eu quero alcançar o internacional, conquistar prémios, nacionais e internacionais, fazer parcerias com lendas nacionais e internacionais.

"Para terminar, a mesma acrescentou que trabalha sozinha e não tem ninguém por de trás, a sua formação é que sustenta a sua carreira musical. Que as vezes não é uma questão financeira, talvez seja só um QI (Quem Indique)".

No entanto vou continuar a fazer música `Nélia Dias`.

Sem comentários